1 comentário para “Evangelho de hoje (14/05/2014) João 15, 9-17”

  1. Edivan Rodrigues da silva

    mai 14th, 2014

    Evangelho – João 15,9-17 14/05/2014 (Comentários)

    Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. (Jo 15,9).

    Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. (Jo 15,9,10).

    Ficar preso ao passado é uma forma, de prorrogar o sofrimento e sufocar a esperança. ers.

    Caríssimos e amados irmãos e irmãs em cristo um bom dia uma certeza grande que temos é que Deus nos ama sem exigir, cobrar e sem sacrifício espirituais ele nos concede a graça do dom da vida e da vivencia. Hoje um dia muito especial peço aos queridos irmãos e irmãs para partilhar da nossa alegria estamos completando 44 anos de Matrimônio peço a oração de todos vocês por essa graça.

    O Evangelho diz que é necessário permanecer na graça do Pai, significa que permanecer em Cristo implica necessariamente dar fruto. Imanência e produtividade condicionam-se mutuamente. Dar fruto não se deve entender como ativismo, assim como não se deve entender permanência como passividade.

    Na realidade somos instáveis, frutos de uma sociedade ansiosa. Não existe em nós um comprometimento maior com a nossa espiritualidade, nos sentimos inseguros, agitados e não sabemos parar para uma reflexão convincente a nós mesmos e com toda a agitação não sabemos orar é quando Jesus chama seus discípulos a permanecer no seu amor e esse convite chega até nós. Temos que saber criar raízes que e sermos fecundos viver uma fé que Deus nunca irá nos abandonar. Agora nos perguntamos será que temos permanecido no amor de Deus? A Santíssima virgem Maria soube permanecer no amor de Deus, temos que imitá-la nas suas ações e orações.

    Pedimos a intercessão da Virgem Maria para que possamos seguir os ensinamentos e mandamentos de seu filho Jesus amando uns aos outros usando a medida de seu amor que é o amor do Pai. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.

    Em Jesus, “o reino de deus está próximo” (Mt 1,15) e convoca à conversão e a fé, como também, à vigilância. Na oração, o discípulo vigia atento aquele que é e que vem na memória de sua primeira vinda na humildade da carne e na esperança de sua segunda Vinda na glória. Em comunhão com o Mestre, a oração dos discípulos é um combate, e é vigiando na prece que não se cai em tradição. (CIC 2612).


Deixe seu comentário